• Rio Larp

Ato VII Cena 14: Resultado da Intervenção

Atualizado: 30 de Set de 2020


Essas palavras da Justicar serão lidas pelo Arconte Interventor Hassan no principio da Cena 14 do Ato VII: Elísia Emergencial do Príncipe Don Guido, no começo da Corte. O Jogo seguirá valendo - ingame (on) - exatamente ao final da leitura do Edito.


Para todos os Membros da Família da Camarilla na Cidade Livre do Rio de Janeiro e no mundo,


Começo está reafirmando que a nossa prioridade é manter a Máscara e demais Tradições.


As Tradições existem, e devem ser aplicadas sem exceções, pois da Máscara depende a nossa existência. Portanto, precisamos zelar por elas e aplicá-las, todas, de forma inequívoca. A ascensão e o êxito da Segunda Inquisição (SI) são frutos da falta de cuidado com estas Tradições, e por conseguinte, com a Máscara.


A Cidade Livre do Rio de Janeiro (CLRJ) e seu Novíssimo Principado no seu estado de Carnaval ficou em intervenção primeiramente por minha decisão, e segundo por um pedido na Convenção de Chicago feito do Arquiteto da Torre de Marfim Frei Diego, Primogênito Ancião de Milão e Conselheiro fundador do Conselho da Rosa Sombria do Carnaval da Cidade Livre do Rio de Janeiro, que recentemente teve sua Caçada de Sangue perdoada.


A Convenção acatou os dois pedidos e, editada por mim, com a mediação da Eterna Justicar Lucinde do Clã dos Reis e da então Justicar Manuela do Clã dos Rebeldes, antes da traição de seu clã na Convenção de Praga. O edito ainda teve o testemunho de diversos Membros presentes à Convenção, dentre eles o próprio Novíssimo Príncipe Ancião recente Don Guido, cria da Ex Príncipe Dana da Pura linhagem de Tinia do Clã dos Reis, de bem como seu Grande Grão Senhor, o Ancião Mestre Sir Collinsworth; e o Magistrado Ancião Mestre Vizir Ibn Khaldum do Clã dos Caçadores.


Por sugestão deste último, o Arconte Pretendente a Ancião Hassan Al Kabith "Morte Súbita", Membro do Principado, auxiliado por seus assistentes, os Servire Neófito Cole, minha cria; e o Ancilla Ather do Clã da Besta, compilaram muitas informações que irei sumarizar aqui.



A Máscara

Foram inúmeras as quebras de Máscara verificadas após o desaparecimento da Ex Príncipe Dana, bem como diversas violações das outras Tradições e regras internas do seu próprio Principado. Ressalto que entre esses crimes estão fotos e vídeos de Cainitas usando Disciplinas nas mãos de mortais, destruição de inúmeros Refúgios e até mesmo de Membros da Torre protegidos pelo Principado pelas mãos da Segunda Inquisição, que poderiam ter sido evitados com um mínimo de organização e empenho. Não houve resposta célere a tais fatos e a altura das violações da Máscara, bem como às evidências não foram justamente destruídas a tempo, obtidas pela SI e por outras agências mortais como grande mídia e outras.


A práxis da Torre na Cidade Livre durante estes eventos esteve nas mãos do Ex-Senescal Conselheiro fundador Ancião Cristiano do Clã dos Magistrados (ou, em tese, o famoso Mestre Ancião Chlodobert ou Clodoberto, o Manco, presente como Lasombra Autarkis na Convenção dos Espinhos) e sobre o comando em um estado de guerra do Ex-Marechal Conselheiro fundador Ancião General Meneses do Clã da Rosa e, por fim do Novíssimo Príncipe Don Guido.


Aparentemente o Novíssimo Príncipe e seus antecessores da CLRJ se preocuparam mais com uma guerra contra a SI local e os Anarquistas e Conspirações do que com a manutenção anterior das Tradições da Torre. Com o efeito, cabe o registro de que uma situação inusitada e sui generis que se observa na CLRJ: O atual Xerife Simon Giovanni Pisanob da Linhagem dos Filhos de Tenochtitlan do Clã da Morte, indicado pelo Príncipe e responsável pela manutenção das Tradições segue uma "Trilha de Iluminação" e viola a Máscara, por conseguinte, segundo a 1ª Tradição, todas as noites ao despertar e enquanto executa seu cargo. Além de ser uma quebra da Promessa de 1528 (o que seria grave se essa não fosse uma "Cidade Livre", mas ainda assim é preciso que isso também seja ressaltado).


Vale entretanto aqui abrir um parênteses para a iniciativa ulterior do Novíssimo Príncipe em construir um centro tecnológico de defesa, que vem executando com primazia e destreza a manutenção da Máscara coordenada por sua Cria a Neófita Donna Giullia e operada pelo Neófito Aprendiz Almiro cria do Ex Magistrado Ancião Regente Ramon Álvaro do Clã dos Feiticeiros e do Neófito recente Ectore "Hector" Giovanni da Linhagem Mla Watu do Clã da Morte e utilizado pelo com sucesso e rapidez pelo mesmo Xerife; pelo Cappo della Torre Don Vitto, Cria de Don Guido e as equipes de ambos. Entretanto, o mal já está feito e ainda não foi consertado, dentro dos limites de não intervenção com a Sociedade de São Leopoldo e quase nenhum Membro de fato foi punido, apenas o Ex-secretário e Ex-Xerife Brujah, o Abandonado e mais de uma vez autoproclamado Anarquista Dennys "Pé-de-Cabra", após muitas confusões criadas pelo mesmo. Apesar de ter sido um dos autores de mais de uma Quebra de Máscara, ele não é o único a quem a Justiça da Camarilla deveria ser executada.


Elísios e Elísia

Aqui também tivemos inúmeras quebras de Tradições, inclusive da sacramentalidade de vários Elísios. Inúmeros registros de violência em Elísias (excetuando-se aqui a "Arena de Meneses", que foi devidamente resolvida e punida com louvor pelas equipes da Cortesã e Conselheira Anciã recente Lady Isabelle cria da falecida Rainha de Londres Lady Anne Descendente do Matusalém Mithras e do Xerife em rápida e efetiva resposta). Também houve destruição de objetos de arte dentro de Elísios, uso de Disciplinas variadas e de forma aberta e inconsequente, segurança inexistente em um Elísio da Catedral Metropolitana e até mesmo de violência entre Membros da Torre em um Elísio estão registrados na CLRJ e uma sequencia de fotos e vídeos na porta da entrada da Elísia do Baile de Máscara do Ex-Principe Conselheiro fundador Ancião Mestre Afonso do Clã da Rosa. Além de que, em diversos Elísias, as atrações pré-combinadas e agendadas foram canceladas sem que houvesse explicação prévia ou retratação posterior, como por exemplo o Réquiem para um Conselheiro falecido, um baile de máscaras onde não houve uma dança sequer e por fim, uma heterodoxa arena de combate, afirmada pelo Principado e de sua Cortesã, com um gigantesco movimento de apostas de anciões internacionais, que foi suspensa na primeira luta. Novamente, pouco foi feito em relação a estas violações e transgressões anteriores a essa Arena (e com exceção dela) ou em uma reunião de pequenos público, como o julgamento do Ex-Arconte Magistrado Ancião recente da Linhagem Tlacique do Ministério Setita adotado do Clã da Besta Reconhecido como Calamare, onde diversas vezes o Elísio foi violado sem qualquer declaração de sancionado.



Destruição

Uma quantidade espantosa de Membros da Camarilla da CLRJ foram destruídos e mesmo após diligentes investigações da equipe do meu Arconte, o paradeiro e destino de diversos deles ainda não foram elucidados. Apesar dos tempos serem difíceis por conta dos Inquisidores, os Membros destruídos dentro do Domínio Carioca são um crime de acordo com as Tradições que evidenciam que este está sob a Proteção do dono de sua Práxis e somente ele pode decretar esta Destruição. Não consigo colocar aqui neste relatório o pesar e quanto lamento a destruição de tantos Membros pela SI por conta de violações da Máscara e outrem. Vale ressaltar neste momento o dossiê do Ex-Conselheiro Ancião Mestre Rolf Bjornson dos Brujah, que trouxe à luz dois dos mais misteriosos casos. É mister que as Tradições sejam mantidas a qualquer preço, e esta deve ser a prioridade de qualquer Membro da Torre que detenha algum status para que isso seja feito. E os criminosos tem que ser descobertos e trazidos à justiça.


A Conspiração Kamakogari

Aparentemente há um grupo que influenciam as criaturas das matas, e que simulam ou realmente parecem pertencer a diferentes Linhagens de Sangue pré-colombianas dos 13 Clãs e dominam diferentes poderes estranhos. Estas ainda lutaram nos últimos 20 anos violentamente para "retomar" seus territórios principalmente dos antigos Domínios dos Anarquistas do Sabá, e que aqui neste Domínio se mantém nas florestas urbanas que compreendem as extensas áreas de vegetação nativa ao redor e dentro da CLRJ. Segundo relatórios que recebi, já houveram importantes e influentes membros do Conselho, como o Conselheiro General Meneses, que foram manipulados e influenciados por essa conspiração e assim intervindo no Principado e em seus Membros. Atualmente, o Príncipe Don Guido está em tentativas de negociação com esses Kamakogari, sendo o interlocutor o Magistrado Calamare.


Descobertas, ações e ordens da Intervenção

Segue uma lista de descobertas da Intervenção e algumas de suas ações, seguida de ordens a serem executadas pelo Principado. Infelizmente a Camarilla está em Guerra em diversas frentes e portanto, essas ordens serão passadas e o Principado tem, em geral, um ano e uma noite para cumpri-las, correndo o risco de um retorno de uma Intervenção ou até de um Conclave no caso de negligência. Conquanto o Arconte Hassan irá partir para Guerra, Cole seu Servire e minha Cria, ficará no Principado e auxiliando em quaisquer questões e duvidas, podendo inclusive servir como Shadow de uma ou mais Coteries (Círculos) .


Abaixo seguem

  • O Membro apontado como desaparecido no édito da intervenção criado na Convenção de Chicago,

  • A resolução apurada que o Ex-Senescal, Ex-Marechal e/ou atual Príncipe Don Guido tomou quanto ao assunto,

  • O Comando em forma de ordem que deve ser feito pelo Novíssimo Principado e seus Membros sobre o caso dentro do prazo médio de um ano e uma noite a partir desta data,


Dridane "Dana" Holman,

Ex-Arconte da Justicar Toreador Madame Guill e Ex-Príncipe Anciã da Pura Linhagem de Tinia do Clã dos Reis

Status:- Destruída pela SI, com livros importantes em sua posse adquiridos pelos Inquisidores, bem a destruição de importantes Carniçais Revenantes Grimaldi infiltrados na Elite Carioca e Brasileira.

Resolução do crime: Ninguém foi punido pela destruição de um Membro Reconhecido e seus importantes, porém os livros foram recuperados pelo Ex-Conselheiro Ancião Rolf, que servia na época como Xerife e seu protetor, função essa que dividia com a manutenção da Máscara.

Ordem: O Ex-Xerife Rolf fica portanto banido da Cidade Livre até conseguir o Perdão da Justicar, em forma de um Favor de Vida, caso queira retornar. O Príncipe pode intervir a seu favor em uma inauguração de um novo Elísio, caso queira assim proceder.


Teodora Manhães ou "Téo da Natividade" ou "Téo",

Conselheiro fundador Ancião do Clã da Rosa -

Status:- Destruído em seu Refúgio em Torpor por um Membro não identificado.

Resolução: Nenhuma publicamente foi tomada.

Ordem: Uma Coterie investigativa apontada pelo Xerife ou pelo Príncipe deve cuidar dessa investigação pessoalmente.


Francisco Nascimento "Dragão do Mar",

Ex-Conselheiro Ancião Mestre da linhagem Osebo do Clã dos Rebeldes.

Status:- Atacado e estacado e jogado ao mar poro ser chamado de Tijuco das Criatura da Matas, foi em seguida encontrado e diablerizado por Al-Shabad, Banu Haqim Desapossado e inimigo da Ashirra e do seu próprio Clã, aparentemente aliado da Conspiração Kamakogari, se passando pelo Neófito Brian dos Sem-Clã e até pela Ex-Zeladora do Elísio Anciã Dominique do Clã da Rosa.

Resolução: Tijuco, que se passava pelo "último Ravnos" Rafael Schliemann na Primeira Elísia da Intervenção foi capturado pelo Conselheiro Cristiano e Executado pelo Hassan. Infelizmente, isso aconteceu antes do Ex-Senescal Cristiano se tornar Regente da Cidade Livre e portanto não há como o ônus dessa destruição ser dele.

Al-Shabad - Nenhuma publicamente foi tomada.

Ordem: Al-Shabad terá uma Caçada de Sangue declarada no Domínio pela Justicar, e seu nome será indicado para entrar na Lista Rubra no caso de algum dos 13 Anátemas serem destruídos. O Ancião Mestre Khaldum é Favorecido pelo Justicarato para planejar e coordenar essa Caçada. A Conspiração precisa ser averiguada pelas autoridades do Principado, para saber se ainda representam perigo.


Regente Ramon Álvaro,

Ex-Magistrado Ancião do Clã dos Feiticeiros

Status:- Destruído em uma missão em território proibido da Pedra da Gávea pela Ex-Príncipe Dana por ocasião ainda de sua Práxis por uma missão de campo decretada pelo então Ex-Marechal Conselheiro General Meneses.

Resolução: Indicação de seu substituto, o novo Regente Viktor, á uma cadeira no Conselho da Rosa Sombria, longo projeto político de Álvaro.

Ordem: O Conselho precisa reavaliar este caso: Alguma punição ao fato deve ser dada ao então Marechal, visto que ele poderia estar sob influência para levar o Ancião às Criaturas, pelo menos um favor maior a sua Cria Almiro, único representante vivo de sua linhagem, podendo este invocar um favor de vida caso o Conselho ache justo.



Dominique Santo Paulo,

Ex-Zeladora do Elísio e Ex-líder da Guilda Toreador Anciã - Status:-Estacada para servir de fote de Sangue por Al-Shabad, seu corpo em torpor fora encontrado pelos Servire Ather e Cole. Acordada, ela pediu para voltar para torpor, por conta do que alegou serem motivos pessoais, interrogada, demonstrou visível descontentamento com a destruição da Príncipe Dana e do Chamado. Seu Corpo está guardado por Carniçais em um local secreto. Ela pede para que a liderança da Guilda do Clã Toreador seja reavaliada, visto o problema do Conselheiro Meneses e aponta sua cria Jorge como seu representante em seus territórios, influencias e favores.

Resolução: Ninguém foi punido pelo sequestro, torpor e quase destruição de um Membro Reconhecido.

Ordem: Al-Shabad terá uma Caçada de Sangue declarada no Domínio pela Justicar, e seu nome será indicado para entrar na Lista Rubra no caso de algum dos 13 Anátemas serem destruídos. O Ancião Mestre Khaldum é Favorecido pelo Justicarato para planejar e coordenar essa Caçada. O Corpo de Dominique deve ficar protegido de tentativas de diableristas de tomarem seu Vitae, uma Coterie de Protetores deverá ser apontada pelo Principado para tal.

Diego Lopes Saramago,

Ex-Chanceler e Ex-Arauto Harpia Chefe Ancião do Clã da Rosa

Status:- Diablerizado por Al-Shabab no interior de um escritório de uma grande rede televisiva local em que ele influenciava a mídia local juntamente com um dos Grimaldi da Ex-Príncipe Dana. Suas cinzas, no entanto, revelam que sua cabeça fora preservada e levada por algum Membro que não o próprio Al-Shabad, por alguma forma que não deixam pegadas ou rastro. Isso aconteceu durante o Reinado do Ex-Senescal Cristiano.

Resolução: Nenhuma publicamente foi tomada.

Ordem: Al-Shabad terá uma Caçada de Sangue declarada no Domínio pela Justicar, e seu nome será indicado para entrar na Lista Rubra no caso de algum dos 13 Anátemas serem destruídos. O Ancião Mestre Khaldum é Favorecido pelo Justicarato para planejar e coordenar essa Caçada. Uma investigação deve ser empregada para descobrir o que aconteceu com a cabeça de Saramago e se esta pessoa está auxiliando o Haqimita Desapossado, correndo o risco de ser ela alvo de todas as punições á ele. A tal rede televisiva está envolvida com uma fundação mortal que parece ser parte da SI local, portanto deve-se ter muito cuidado em tentar recuperar essa influência de Saramago e do Grimaldi de Dana para o Principado.


Boaventura "O Bandeirante" Pereira,

Pioneiro e Ex-Magistrado Ancião Lembrado do Clã da Besta:

Status:- Destruído por uma Criatura das Matas, enquanto tentava ajudar a equipe da Missão do Ex-Marechal Meneses.

Resolução: Indicação de seu substituto, Rodrigues Calamare á uma cadeira no Conselho da Rosa Sombria pelo Príncipe.

Ordem: Alguma punição ao fato deve ser dada ao então Marechal, visto que ele poderia estar sob influência para levar o Ancião às Criaturas, pelo menos um favor maior a algum Gangrel de sua linhagem caso esse apareça no Principado para reclamá-la. Novamente cabe ao Conselho dar a palavra entre os seus. Também deve ser avaliado se levar alguma punição a tregua com a Conspiração em curso de mediação pelo Principe se faz necessária nesse momento.


Constanzia da Famiglia Giovanni,

Nonna Anciã Lembrada do Clã da Morte:

Status:- Destruída pela Anciã Isaura do mesmo Clã em uma Lex Talionis ritual não autorizada e não santificada pelas práticas antigas da Cidade Livre.

Resolução: Convite para os Hecata da Cidade Livre entrarem na Camarilla, desafiando a Promessa de 1528 entre os então lideres do Clã da Morte e o Círculo Interno da Torre.

Ordem: O Magistrado Don Martino ou seu representante precisa dar alguma satisfação ao Principado acerca desse ocorrido e trazer a Anciã Isaura para punição que o Principado achar melhor.


Lothbrook Sor,

Ancião do Clã dos Rebeldes do Principado de Vitória sob a proteção de uma noite no Domínio do Novíssimo Principado do Rio;

Status: Aparentemente destruído em seu Refúgio temporário por uma gangue de humanos sem nenhuma relação com a Segunda Inquisição aparente.

Resolução: Nenhuma publicamente foi tomada.

Ordem: Uma Coterie investigativa apontada pelo Xerife ou pelo Príncipe deve cuidar dessa investigação pessoalmente. Caso se prove que ele foi destruído enquanto sob a proteção do Novíssimo Principado o Clã Brujah de Vitória ou sua Cria, a Anciã recente Ártemis dos Helenistas deverá ser compensados pelo dono da Práxis.


Amunet Suri,

Neófita do Ministério Pretendente ao Clã da Rosa

Status: - Destruída em seu Refúgio pela Segunda Inquisição, onde os Caçadores levaram todas suas anotações sobre o Vitae Cainita. Isso aconteceu durante o Reinado do Ex-Senescal Cristiano.

Resolução: O Arconte Hassan recuperou as anotações e destruiu todas as provas que ligavam a Neófita ao Ministério, ao Clã Toreador e a Camarilla. Ninguém foi punido pela destruição de um Membro Reconhecido .

Ordem: O Ex-Senescal Cristiano deve pelo menos um favor maior caso algum Toreador que a estava tutelando reclame sua destruição.


Capitã Annie "Deus-Le_Veus",

Ancilla Ex-Secretária e Ex-Mirmidã do Clã dos Magistrados

Status: - Atacada e destruída pela Segunda Inquisição no porto de Santos/SP, tendo sido perseguida desde Buenos Aires pelos mares da costa sulamericana. Estava portanto fora do Domínio e da Praxis da CLRJ.

Resolução: Nenhuma.

Ordem: Consertar a Máscara caso essa morte deixe alguma sequela ao Principado, sem interferência com a Inquisição.


Sabrina Stoll,

Neófita pretendente á Ancilla do Clã dos Magistrados

Status:- Reapareceu em Brasilia, danificada, após fugir da CLRJ, após perceber que era alvo fácil da Segunda Inquisição.

Resolução: O Ex-Chefe das Harpias Octavius foi responsabilizado por tê-lacolocado em perigo, e pagou um Favor Maior colocando-a de Chefe das Harpias de Brasília em seu lugar e todas as acusações sobre a destruição de seu Senhor foram retiradas.

Ordem: Nenhuma.


Lucian ou Lucjan Ikšķile

Ancilla Escatologista e Nodista dos Mnemosyne do Clã da Lua, Cria de Adrojai, Recém acordado de um torpor de milênios.

Status:- Em torpor aparentemente pela Criatura da Mata "El Jaguar Rival" ou "A Onça Rival" ao subir sem o consentimento do Clã Gangrel no Morro da Urca, apesar disso ter acontecido durante o Reinado do Ex-Senescal Cristiano, este nunca se apresentou formalmente ao Senescal em uma corte e portanto não existe o ônus do crime sobre o então dono da Práxis. Seu Carniçal Oto Nava está atualmente sem fonte de Vitae

Resolução: Nenhuma publicamente foi tomada.

Ordem: Uma Coterie investigativa apontada pelo Xerife ou pelo Príncipe deve cuidar dessa investigação pessoalmente. O Carniçal que toma conta do corpo de seu mestre precisa urgentemente de um novo Domitor que pode ser parte dessa Coterie ou outrem. É preciso averiguar a ligação do "El Jaguar Rival" com a Conspiração Kamakogari pelas autoridades do Principado e planejar alguma ação em caso positivo, para não afetar a trégua de Don Guido. Em caso negativo, recomenda-se que todas as forças do Principado possíveis se unam para destruir sob uma Caçada de sangue esta criatura.

Timóteo Monjardim

Neófito Diablerista punido e perdoado do Clã dos Escondidos

Status:- Destruído na explosão de uma antiquíssima Igreja da Zona Oeste da Cidade Livre do Novíssimo Principado, investigações levam a crer que poderes vampíricos criaram a explosão.

Resolução: Nenhuma publicamente foi tomada.

Ordem: Uma Coterie investigativa apontada pelo Xerife ou pelo Príncipe deve cuidar dessa investigação pessoalmente.


Andrew Jover ou "Andrezinho Duskborn"

Neófito Avetrol dos Sem Clã pretendente ao Clã da Rosa

Status: - Se reapresentou em uma Elísia e está sob os cuidados do Novíssimo Principado. Resolução: - Seu destino será anunciado pelo Principado.

Ordem: Andrew pode ser reçarcido da forma que o Príncipe quiser ou se quiser, e sendo aceito na CLRJ pode continuar assim sendo, mas ele será marcado nesta noite como Sangue-Fraco que é, assim como todos os que o são serão. Mais sobre esse assunto adiante.


Brian Stoll

Neófito Notório dos Sem Clã

Status: - Igualmente estacado por Al-Shabad como Dominique, foi recuperado pelo Conselheiro dos Sete da Casa e Clã Tremere Senescal Ancião Saavedra do Clã dos Feiticeiros e passou quase um ano em posse do Principado, libertado apenas recentemente.

Resolução: O Príncipe prometeu um Favor Maior ao Pária. Seu destino será anunciado pelo Principado.

Ordem: Al-Shabad terá uma Caçada de Sangue declarada no Domínio pela Justicar, e seu nome será indicado para entrar na Lista Rubra no caso de algum dos 13 Anátemas serem destruídos.


Maria Vida Homem da Costa,

Criança da Noite pretendente á Neófita cria do Arquiteto do Arquiteto Frei Diego do Clã dos Magistrados

Status:- Diablerizada pelo Conselheiro Ancião Recente e Ex-Bispo do Sabbat Siegmund Muller, cria de Annia Schullemburg e descendente da Ex-Conselheira fundadora Anciã Mestra Narziela ou Anconia Messalina, última da Linhagem dos Angellis Ater do Clã dos Magistrados, em sua tentativa de atacar Frei Diego no Principado de Milão.

Resolução: Nenhuma publicamente foi tomada.

Ordem: Muller não pode ser punido por destruir uma Novata ainda não aceita na Camarilla, porém o Sangue de um Arquiteto da Torre deve ser reparado. Por um ser um Conselheiro, cabe ao Conselho da Rosa Sombria com a presença dos Conselheiros ou Secretários disponiveis para julgar a reparação apropriada para o Frei. Um Favor de Vida é algo bastante aconselhavel, ou um Duelo Symbel entre eles ou seus campeões ou como o Conselho decidir.


Extra:

Alphonse "Al" Capone

Ex Primogênito Neófito candidato á Ancilla de Chicago Cria do Ex Príncipe Lodin do Clã do Reis.

Um Anarquista em Chicago foi interrogado pelo Xerife Neófito Damien da Eterna Academia de Critias dos Helênicos do Clã dos Rebeldes e levou a uma grave acusação do Novo Príncipe Chicago Neófito Kevin Jackson "O Paladino" Cria do Ex-Principe Lodin do Clã dos Reis ao Novíssimo Príncipe Don Guido de ter cedido os presentes de sua Cria e esposa Neófita Donna Giullia para que Anarquistas destruíssem o Ex-Primogênito Capone de lá. Não foram encontradas nenhumas evidências dessas graves acusações, entretanto o Principado deve provar sua total inocência, ainda, descobrindo exatamente como isso se deu. Por ser uma questão pessoal, o Príncipe deve indicar como melhor quiser resolver esse assunto e negociar com o Príncipe Jackson da forma que os dois acharem melhor, dentro do prazo estabelecido de um ano e uma noite, com o aval do Justicarato de seu Clã, já ciente do problema.



Últimas Ordens e diversas Sugestões


  • A Máscara deve ser reparada o máximo possível, sem interferência direta na SI, mas continuando o trabalho do Centro de Defesa e que todos os Membros se escondam das agências mortais e seus Caçadores, removendo os dados dos Cainita dessas agências e investigando os mandantes por trás dessa coleção de dados tão bem sucedida.

  • Todas as Ordens acima devem ser cumpridas a risca.

  • O Conselho da Rosa Sombrio, tradicionalmente composto pela maior população Cainita da Cidade, os Toreador e Lasombra, agora é parte integral da Camarilla. Portanto, deve ser debatido e verificado se a ocupação desse dois Clãs não deve se limitar a duas cadeiras, e apenas uma para os demais, se os Anciões assim concordarem, ou se deve-se manter o Status quo. E, como exceção, dos Lasombra constituírem a cidade e dos Brujah Helênicos terem uma cadeira antiga, apenas os demais 5 Clãs atuais devem continuar possuindo direito de a voz e voto, como Conselheiros, enquanto que os o Gangrel, Banu Haqim, Hecata, Ministério Setita etc. participarem apenas como Magistrados, com direito a voz mas sem direito a voto. Lembrando que os Hecata ainda estão atrelados a Promessa de 1528, mesmo que aqui seja uma Cidade Livre é importante ressaltar tal fato.

  • Vale ressaltar que o Justicarato respeita e entende que os dois Grandes Clãs da Cidade, Toreador e Lasombra, devem ter seu legado preservado, mesmo que por Coteries de Membros de diversos Clãs. Bem como os legados dos ditos Clãs médios etc.

  • A Cortesã e Conselheira Ventrue Lady Isabelle está em diversas negociações pela região Centro-Sul do Brasil para a Camarilla a cerca da Guerra contra o Movimento Anarquista, e portanto precisa escolher seu representante na sua cadeira como Secretário que não acumule com a função de Cortesã assistente do Elísio.

  • Apesar de ser uma Cidade Livre e do Carnaval, o Novíssimo Principado da CLRJ deve tentar se manter longe de todos os demais Cainitas que não fazem parte da Camarilla como seus Membros Reconhecidos, para que a SI os destrua e não chegue mais até aqueles protegidos pela Práxis.

  • A Cidade Livre, aliás, precisa e merece retomar a seu status festivo do Carnaval e, conquanto seja da Camarilla, poderá servir de santuário para aqueles que buscam negociar tregue e se refugiar durante a Guerra das Seitas pelo menos em seu Elísios.

  • Os Status, Postos e Cargos devem ser amplamente respeitados.

  • Como no passado, as Religiões Cainitas, parte formadora da Cidade Livre, podem retornar ás Elísias e fazerem seus próprios serviços, eventos, práticas e rituais sempre sob a supervisão do Principado.

  • Os Membros sentem falta dos Bailes de Dominique bem como a forma como ela, supervisionada pela Ex-Príncipe Dana, conseguiam introduzir costumes antigos religiosos e rituais dos Anarquistas do Sabá, que constituíam a Cidade Livre sem a quebra de qualquer Tradição. Isso deve ser retomado.

  • Aliás, por mais exótico ou heterodoxo que seja, uma vez que uma Elísia com um evento foi preestabelecida, e deve ser no mínimo mantido e não deve haver punição posterior por ignorância da natureza do evento, como tem sido o caso em diversas reuniões pós-Dana.