Regras para Elísio

Atualizado: 23 de Jul de 2019

Elísio: um local reverenciado, geralmente com grande valor histórico ou artístico, formalmente designado como um lugar onde os vampiros podem se reunir em paz.

Elísia (reunião em um Elísio)


A santidade do Elísio


A palavra Elísio vem dos Campos Elísios da Mitologia Grega, um paraíso para a vida após a morte, onde os escolhidos desfrutam de uma paz há muito merecida. Na sociedade dos Membros, o Elísio é um campo neutro conhecido publicamente, independentemente da política, que qualquer Membro em boa posição pode visitar. É um lugar sagrado onde os mortos-vivos podem encontrar descanso do mundo e se envolver com a sociedade vampírica. Este lugar é importante para todos os Membros, desde a socialite até o estrangeiro eremita, pois é o único lugar de santuário disponível para um vampiro quando ele é colocado em perigo por seus semelhantes.


Muitos vampiros mais jovens consideram a tradição de Elísio um costume engessado e antiquado, mas essa prática igualitária trata todos os Membros da mesma forma, independentemente de sua posição ou fama. Elísio está sob a “Pax Vampirica”, o que significa que nenhuma violência de qualquer tipo é permitida lá - o Elísio é um local neutro. Temperamentos podem se inflamar e palavras acaloradas podem ser trocadas, mas espera-se que os rivais mantenham o controle sobre seus ânimos. Queixas e rivalidades não desaparecem simplesmente porque um Membro entra em um Elísio. Vampiros que buscam trazer conflito para um Elísio devem escolher as armas certas: garras, dentes e armas são proibidos, então é preciso usar insinuações e fofocas, boatos e escândalos. A violência é estritamente proibida no Elísio, e espera-se que os indivíduos mantenham tal comportamento sob controle.


O Guardião do Elísio irá remover à força aqueles que não conseguirem se controlar e que permitam que desses rancores floresçam confronto violento. Os oficiais do domínio punem severamente aqueles que entram frenesi dentro Elísio, e as consequências sociais podem ser devastadoras por anos ou décadas.


Participar de um evento no Elísio oferece oportunidade para tanto os neófitos quanto os antigos para relaxar e abaixar sua guarda, sabendo que a reputação do domínio está em risco se houver uma violação de segurança.


O Guardião do Elísio é responsável por tudo o que acontece em sua jurisdição, incluindo agendar ou cancelar eventos. Esta posição envolve tanto prestígio quanto escrutínio.


Os residentes do domínio passam as noites aqui, debatendo, politicando e conduzindo intrigas entre si por longas horas. Os negócios de Membros da cidade também acontecem no Elísio, e quase todos os vampiros terão pelo menos uma ocasião de vez em quando para visitar o Elísio, nem que seja para apenas para falar com o príncipe ou um ancião. No entanto, o Elísio é certamente o parque de diversões dos antigos, e os jovens que se aventuram por lá devem sempre se lembrar disso.


Embora Elísios frequentemente sirvam como locais de reunião para os Membros, a Máscara deverá ser mantida em todos os momentos se algum mortal estiver por perto. Da mesma forma, mesmo que de vez em quando sirvam hors d’oeuvres, é considerado mau gosto vir a um Elísio com fome, já que vampiros não saciados geralmente têm pavio curto. Alguns príncipes vão tão longe a ponto de proibir a caça nas proximidades, já que uma população concentrada de vampiros poderia facilmente resultar em um número suspeito de mortes na área.


Se um vampiro trouxer um convidado para o Elísio, ele é responsável pelo comportamento desse convidado. As regras básicas do Elísio são simples, mas são frequentemente modificadas ligeiramente de acordo com as preferências locais do Príncipe:


  • O Elísio é considerado um solo neutro, santificado, e apartado de seita ou política

  • Violência de qualquer tipo é estritamente proibida no Elísio. (Em algumas cidades, as Cortesias estendem essa proteção para incluir passagem para ou de um Elísio.) Esta regra inclui usar disciplinas ostensivas, mesmo as mais gentis como Dominar ou Presença, sobre outros convidados. Alguns Elísio desencorajam o uso de quaisquer disciplinas, exceto para proteger o disfarce. (Note que os Nosferatu são muitas vezes isentos desta regra, a fim de disfarçar sua verdadeira aparência. Mesmo quando não há perigo para a Máscara, eles são encorajados a continuar usando Ofuscação para evitar incomodar os outros convidados.)

  • A presença de bestas da lua (lobisomens), selvagens (fae), ou aqueles que beberam o sangue do coração (diableristas) são proibidos.

  • Ninguém poderá destruir a arte localizada no Elísio. (A definição de “arte” foi expandida para incluir o artista de vez em quando, fazendo os vampiros do clã Toreador alguns dos maiores proponentes do Elísio.)

  • Toda a caça será proibida na área em torno de um Elísio

  • O Elísio e seu conteúdo são sacrossantos e não será danificado.

  • A palavra do Guardião é lei no território do Elísio, e ele pode tradicionalmente punir ou executar qualquer pessoa que viole o Elísio.

A fundação do Elísio


Elísios são refúgios seguros, respeitado de maneira sagrada pelos Membros de todas as seitas. De acordo com a tradição antiga, um Elísio é um local cuja existência (ou a existência dos artefatos alojados dentro dele) é fundamental para a história, cultura ou conhecimento. Na Europa, esses locais são lugares de alta distinção: locais sagrados antigos, museus famosos e assim por diante. Nos continentes mais jovens das Américas, teatros, bibliotecas e igrejas estão entre os edifícios comumente elevados, desde que o local seja proeminente o suficiente para justificar a proteção e o respeito eternos.


Elísios não são criados por capricho, nem são santificados pela palavra de um Príncipe ou pelo elogio de uma Harpia. Em uma cidade significante com muita história, pode haver até três ou quatro desses locais, todos facilmente reconhecíveis como locais de grande importância no passado da cidade ou como repositórios de cultura, arte ou sabedoria insubstituíveis. Um príncipe (ou outro líder social), com o apoio quase unânime da população, poderá nomear um novo Elísio (ou remover tal honra de um local violado) no domínio desse líder. Qualquer nomeação traz a certeza de ser observada criticamente pelo resto da população de Membros do mundo. Um príncipe que confirma uns mera boate ou garagem de estacionamento como um Elísio será feito de piada, e seu título provavelmente será rapidamente reivindicado por um indivíduo mais sóbrio e adequado.


O conceito de Elísio é anterior às várias seitas de vampiros, e é uma das poucas coisas consideradas mais importantes que a política. Se os Anarquistas reivindicarem um território onde um Elísio está alojado, espera-se que eles cuidem dele e o defendam, da mesma forma que a Camarilla; assim também os donos de Elísios dentro dos domínios independentes os mantêm sacrossantos. Embora o Sabá afirme não se importar com tais locais sagrados, a maioria dos membros mais velhos da Espada de Caim ainda trata o Elísio com certa reverência, e até mesmo sua juventude tempestuosa pode ver a sabedoria em assegurar que locais históricos visíveis e importantes não sofram. Deve haver um mundo que valha a pena governar, afinal, quando o Pai das Trevas retornar. Uma violação de Elísio e consequências sociais.


Uma violação de Elísio ocorre quando uma das regras acima é quebrada. (Note que o Guardião do Elísio, e seus agentes, são imunes a essas regras com o propósito de proteger o Elísio. Por exemplo, o Guardião poderá precisar restringir fisicamente um visitante em frenesi.) A intenção do infrator não é relevante, o que importa é que as leis do Elísio foram quebradas.


Quando uma violação acontece, o Guardião do Elísio e/ou o Príncipe devem punir severamente o perpetrador. Se o público Membro tomar conhecimento de uma violação do Elísio e uma punição apropriada não for aplicada dentro de 30 dias, isso causará escândalo em todos os membros do domínio; todo vampiro residente do domínio receberá automaticamente o status negativo Desgraçado por três meses.


Tradicionalmente, o domínio não poderá construir um novo Elísio nem hospedar reuniões em outros Elísios durante esse período de tempo, ou a duração se estenderá a seis meses.


Harpias de outras cidades zombarão de residentes de um domínio que não conseguiu manter seu Elísio. Os Guardiões Estrangeiros de Elísio poderão impedir que Membros Desonestos frequentem o Elísio em suas próprias cidades.


O Membro que violou um Elísio recebe o status negativo Desgraçado por um ano e um dia. Além disso, o Príncipe e o Guardião do Elísio provavelmente aplicarão punições devastadoras, se não a Morte Final. Por exemplo, no domínio de Detroit, um Anarquista chamado Hopper acidentalmente entrou em frenesi em um Elísio. O príncipe Vargas respondeu mandando que Hopper fosse publicamente açoitado e depois deixá-lo faminto ao longo de um mês, argumentando que é sempre aconselhável alimentar-se antes de ir a um Elísio. Alguns consideraram o príncipe Vargas misericordioso.


Uma vez que um Elísio foi violado, o local perde para sempre sua santidade. Nunca mais poderá ser considerado um Elísio. Quaisquer investimentos no local tornam-se inúteis aos olhos da Camarilla. Vampiros acreditam que possuir tal propriedade dá azar. Há muito tempo atrás, se um Elísio fosse violado, vampiros queimavam o prédio até o chão e salgavam a terra para que nada crescesse ali, como um aviso para qualquer Membro que pudesse ousar causar violência em um Elísio.

78 visualizações

© 2018 por Rio V5 LARP.  URL: www.riov5larp.com  |  E-mail: riov5larp@gmail.com  |

  • Ícone do Facebook Branco
  • Ícone do Instagram Branco